A segurança da informação é um quesito indispensável na garantia da continuidade de negócio em uma empresa.

Independentemente do tamanho dela e do volume de dados mantidos, o backup é que garante isso.

Ele deve ser confiável e estar disponível em tempo hábil sempre quando necessário.

Algumas dicas podem ser utilizadas para garantir que ele cumpra sua função. Continue lendo nosso post e conheça-as!

O que é backup?

Esse termo é utilizado para se referir a uma cópia íntegra de todos os dados que não podem ser perdidos.

Essa cópia também deve ser armazenada e organizada de forma que possa ser recuperada e restaure o acesso rapidamente aos dados ou ao funcionamento de sistemas de informação.

O backup pode ocorrer em vários níveis, os mais utilizados são:

  • full,
  • incremental,
  • diferencial.

A escolha do nível será influenciada por fatores de periodicidade com que ele é feito.

É importante frisar que só há backup se este puder ser restaurado.

Isso quer dizer que seu armazenamento deve ser feito de forma segura em mídias confiáveis e sempre que possível ser replicado.

Para atender esses quesitos existem boas práticas que veremos a seguir.

Melhores práticas de backup

As melhores práticas recomendam passos bem objetivos que, quando seguidos, trazem maior segurança ao administrador em relação a ter dados consistentes e habilitados para restauração.

Entre as melhores práticas estão:

Tenha uma periodicidade

A imprevisibilidade de incidentes, que demandam uma restauração de dados, aponta a necessidade de realizar procedimentos de backup com certa frequência.

Esta periodicidade pode ser definida pelo fator de criticidade dos dados e também pelo intervalo de tempo aceitável para perda de informações em caso de um incidente de alto impacto.

Em grandes volumes de dados, é necessário optar por um nível de backup incremental, pois, em alguns casos, não há tempo hábil para realização de cópias inteiras no período reservado para esse procedimento.

Há sistemas onde é necessária a realização de vários backups ao longo do dia.

Isso traz maior segurança e menor risco de perda de dados em caso de incidente.

Faça verificação de dados

Após um procedimento de backup é importantíssimo realizar testes de integridade.

Por se tratar de um item crítico de segurança para seus dados, validar ele é um passo obrigatório.

As ferramentas modernas utilizam métodos Hash para verificar se os arquivos dele são idênticos aos originais.

Portanto, uma boa ferramenta pode automatizar esse procedimento, cabendo ao administrador apenas ativar o recurso.

Verifique a possibilidade de compactação dos arquivos

Pelo fato de que os backups devem ser parte da rotina da empresa, e ficam retidos por longos períodos, considerar a compactação dos arquivos é sempre uma ótima ideia.

Gerenciar bem o espaço que esse processo ocupa vai ajudar na redução de custos dessa armazenagem.

Em casos onde ele é feito em mídias magnéticas, grandes volumes de dados exigem espaços físicos enormes para que seja estocado.

Crie uma rotina de testes de restore

Um backup que não pode ser restaurado, não deve ser considerado como backup.

Por isso, é necessário ter uma rotina rígida de testes de restauração para garantir que, quando preciso, esse recurso poderá ser efetivamente utilizado.

Descobrir que seus dados não podem ser restaurados, justamente na hora que você mais precisa deles, com certeza não será uma experiência agradável.

A fim de evitar isso, realize seus testes com dados aleatórios antigos e recentes e valide se é possível restaurar suas cópias de segurança de qualquer tempo.

Agora que você já sabe as melhores práticas dessa medida, saiba mais sobre a importância do backup para sua empresa em nosso post.

(Imagens: divulgação)


  • Share:
Contato via Site CL9