O uso da tecnologia se tornou indispensável no cotidiano de qualquer empresa, com isso muitos conceitos de segurança precisaram ser adaptados para que os colaboradores pudessem atuar de forma segura no meio digital.

Infelizmente, a utilização de senhas fracas ainda é algo extremamente comum. Isso pode colocar todas as informações sigilosas em risco, trazendo consequências imensuráveis.

Sendo assim, é fundamental encontrar mecanismos que possam viabilizar a segurança mesmo que seus colaboradores utilizem senhas fracas ou tenham suas credenciais comprometidas.

Quer saber como a dupla verificação pode ajudar a assegurar os dados da sua empresa? Continue lendo nosso post.

Como a dupla verificação funciona?

A tecnologia emprega dois itens de propriedade do usuário de um determinado serviço: a senha, como primeiro item que o usuário precisa saber, e, em seguida, um dispositivo que o mesmo usuário possua.

Os dispositivos podem ser desde smartphones até tokens físicos, como aqueles geralmente utilizados em bancos.

Unindo os dois itens, quando o usuário faz o login no serviço que deseja acessar, uma confirmação é enviada para o seu dispositivo para confirmar que é ele mesmo quem está se logando no serviço.

Outra forma de se utilizar o dispositivo como segunda verificação é utilizar um aplicativo de tokens, que fica gerando senhas temporárias válidas apenas por alguns segundos.

Assim, o usuário precisa informar essa senha temporária juntamente a sua senha permanente.

Essa senha temporária também costuma ser enviada via SMS, sendo conhecida como código de verificação. Mas fique atento: utilizar SMS pode ser um risco caso seu celular exiba notificações mesmo com a tela bloqueada.

Se seu chip for inserido em outro aparelho, o SMS com o código de confirmação pode cair em mãos erradas da mesma forma.

Qual é a sua importância?

Se você utiliza qualquer aplicativo ou serviço para armazenar ou realizar transações com informações confidenciais, é importantíssimo assegurar que terceiros não terão acesso indevido a esses dados caso sua senha seja descoberta.

Um bom exemplo disso é quando você precisa utilizar um computador de um espaço público em uma emergência e esse equipamento possui softwares mal-intencionados para capturar credenciais.

Se você tem dificuldade de memorizar suas credenciais e as deixa anotadas em algum local, como uma agenda, em caso de perda, haverá tempo hábil para trocar suas senhas, pois o usuário mal-intencionado não conseguirá se logar em nenhum sistema, mesmo com a sua senha, se não fizer segunda verificação, que só pode realizada através de um aparelho que está com você.

Também é possível detectar tentativas de ataque. Caso chegue uma notificação do serviço de autenticação e não seja você quem está tentando logar-se, é provável que esteja havendo uma invasão.

Como implementar a dupla verificação?

Normalmente, nas configurações do seu serviço de e-mail, redes sociais ou qualquer outro aplicativo é possível acessar os ajustes de dupla autenticação.

Dentre as opções, você poderá encontrar a dupla autenticação através de confirmação via SMS, WhatsApp ou por aplicativos como o Google Authenticator, que gera senhas temporárias para que você conclua seu login.

Agora que você já conhece a importância da dupla verificação na sua empresa, continue conosco e saiba como a VPN pode aumentar a segurança do home office!

(Imagens: divulgação)


  • Share:
Contato via Site CL9